Casa de Repouso da Enfermagem Portuguesa e Profissões Auxiliares de Saúde
Primeira Página

História da Casa de Repouso da Enfermagem Portuguesa


Em 1959, a Enfermeira Maria dos Prazeres Carreira funda a Comissão Organizadora e Instaladora daquela que viria a ser a Casa de Repouso da Enfermagem Portuguesa e outras Profissões Auxiliares da Medicina. Essa Comissão era formada por um grupo de Enfermeiros, da qual constavam para além da Sr.ª Enf.ª Maria Carreira, os Srs. Enfermeiros Mário de Oliveira e Daniel Pinto. Estes viriam a ser considerados como fundadores da Casa de Repouso da Enfermagem Portuguesa e outras Profissões Auxiliares da Medicina a qual legalmente foi constituída a 31 de Agosto de 1961, por despacho do Ministério da Saúde e Assistência como Instituição Particular de Assistência.

 

A 8 de Dezembro de 1961 foram inauguradas as primeiras instalações, que eram sitas em Lugar de Além, na Rua da Cruz n.º12, Caneças, numa cerimónia que contou com a presença de Sua Exa., o Presidente da República, Almirante Américo Thomaz.


Dirigida pela Enfermeira Maria Carreira, a Casa de Repouso da Enfermagem Portuguesa tinha como principais objectivos acolher profissionais de Enfermagem e outras profissões auxiliares de saúde, seus cônjuges ou familiares, através de internamentos, convalescenças ou períodos de férias e começou por ter uma capacidade para 35 utentes.

Sendo o seu âmbito de nível nacional (incluindo as ilhas da Madeira e Açores e colónias portuguesas), constituía uma preocupação da CREP, o auxílio aos mais necessitados, pelo que, por todo o país foram nomeados delegados, cujas principais funções se prendiam não só com a angariação de novos sócios, mas também com a procura de Enfermeiros ou outros profissionais de saúde em situação de necessidade de prestação de cuidados.


De realçar ainda o facto de serem frequentes as visitas à Instituição por parte de sócios que se encontravam a desempenhar funções por terras de África e que, aquando as suas férias em Portugal, não hesitavam em acompanhar o desenvolvimento da CREP.


No ano de 1980, a CREP estabelece um acordo com o Centro Regional de Lisboa adquirindo o estatuto de Instituição Particular de Solidariedade Social, através da aplicação do Dec. Lei N.º 519-G2/79, reformulado pelo Dec. Lei N.º 119/83.


Em 1985 a CREP adquire o edifício da Rua Major Rosa Bastos, também situado em Caneças, com capacidade para 24 residentes que veio a entrar em funcionamento no ano seguinte. Ainda nesse ano teve também lugar a alteração dos estatutos da CREP, passando a denominar-se Casa de Repouso da Enfermagem Portuguesa e Profissões Auxiliares de Saúde.


Posteriormente, através da construção de um novo Edifício (1990), que viria a ser denominado por Edf. Daniel Pinto e que era constituído por 6 quartos destinados a casais que aí resolvessem passar o resto das suas vidas, aumenta a capacidade de alojamento.


A Instituição prosseguiu com o seu desenvolvimento, alargando o seu âmbito de acção à comunidade através de novos acordos de cooperação com a Segurança Social quer para a valência Lar, quer para a valência de Apoio Domiciliário que entretanto também fora criada.


Em 1997 e dando sequência ao gradual desenvolvimento da Instituição, foi construído um outro Edifício (Fernando Calheiros), anexo às instalações da Rua Major Rosa Bastos.


Ao longo dos últimos anos têm vindo a ser realizadas obras, quer de alargamento, quer de melhoramento das instalações da Instituição, tendo sido construídas três residências autónomas.


Nos dias de hoje, mantêm-se os objectivos contínuos de dar cada vez uma melhor resposta à população idosa existente, mantendo-se o respeito pelas premissas que presidiram à fundação desta Casa. Com efeito, com o cada vez maior envelhecimento da população mundial os problemas que existiam no momento da sua criação, não só se avolumaram como também se agravaram.


Assim, e porque é esse o seu primordial objectivo estão hoje em desenvolvimento novos projectos de infra-estruturas que deverão ser levados a cabo e concretizados nos próximos anos, prolongando no futuro o crescimento e o cumprimento dos objectivos da Instituição.



Cronologia dos Presidentes da Direcção da CREP:

 

·         Enf.ª Maria Carreira ---------------------------1961 a 1964

·         Enf.º Eduardo Sousa ---------------------------1965 a 1971

·         Enf.ª Mª Cândida Andréa --------------------1972 a 1973

·         Enf.º Frederico Brandão Gomes------------1973 a 1986

·         Enf.º Fernando Calheiros ---------------------1987 a 2007

·         Enf.ª Felisbela Gonçalves --------------------2008 à actualidade




HOME

MISSÃO

HISTÓRIA

INSTALAÇÕES

PARCERIAS

SÓCIOS

CORPOS SOCIAIS

CONTACTOS

Copyright © CREP.pt 2010 - Todos os direitos reservados

Powered by SDM